Menu


Pastor responde porque, sendo bom, Deus permite tragédias como o furacão Irma: “Rebelião”

11 SET 2017
11 de Setembro de 2017

O furacão Irma sucedeu o Harvey e ampliou a perplexidade do mundo diante da destruição causada, com cidades inteiras devastadas diante de sua força descomunal. Tamanha calamidade suscita em muitas pessoas, cristãs ou não, a pergunta: por quê Deus permite tais catástrofes?

O pastor Renato Vargens, escritor e líder da Igreja Cristã da Aliança (Niterói, RJ), publicou um breve artigo com reflexões baseadas na Bíblia Sagrada a respeito das possíveis respostas a essa pergunta.“Não quero ser simplista em tentar explicar tragédias, até porque, nem sempre nos é possível fazê-lo. Todavia, as Sagradas Escrituras nos apontam um Deus Soberano que tudo sabe e tudo vê, e que entrelinhas nos ensina a confiar exclusivamente n’Ele”, pontuou o pastor.

Em sua introdução, Vargens acrescenta que “a Bíblia também nos mostra que devido ao pecado de Adão, toda a natureza sofreu as conseqüências de sua desobediência”, e afirma que “tsunamis, terremotos, furacões e tufões apontam de forma efetiva para a criação caída que geme esperando o dia da sua redenção”.

“Tragédias são indescritíveis. Elas não têm hora para chegar, não pedem licença e sem que as autorizemos, abruptamente invadem nossas vidas interrompendo sonhos, projetos e ideais. Tragédias nos provam, nos sacodem existencialmente, violentam a alma. Tragédias possuem a cruel capacidade de sugar de nossos corações a expectativa de um mundo melhor”, lamentou.No texto publicado em seu blog, o pastor cita a passagem bíblica de Romanos 8:19-21 : “A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus”.

“A queda da humanidade em pecado afetou tudo, incluindo o universo onde habitamos. Tudo na criação está sujeito à corrupção. O pecado é a causa principal para os desastres naturais, da mesma forma que é a causa principal para a morte, doenças e sofrimento”, explicou o pastor.

“Mas, será que Ele poderia não permitir esses desastres naturais, afinal de contas, Ele não é bom?”. A resposta para essa pergunta é “sim”. “Deus poderia impedir desastres naturais e inúmeras vezes, devido a Sua bondade e misericórdia Ele o fez no decorrer da história. As Escrituras e os relatos de crentes de todas as gerações nos mostram isso”, contextualizou.

O pastor Renato Vargens ponderou, entretanto que “Deus às vezes usa os desastres naturais como um amplificador de sua voz, cujo objetivo é mostrar aos homens a finitude da vida bem como a necessidade de voltarmos ao Criador”.

“Além disso, as Escrituras também nos ensinam que existem casos em que tragédias podem apontar para o juízo de um Deus justo e santo sobre uma sociedade que se rebelou contra os seus decretos e Palavra”, salientou, numa clara proposta de reflexão sobre o modelo de sociedade sob o qual vivemos atualmente.

Ao final, Vargens destacou que o “Deus revelado pelas Escrituras não é um déspota masoquista que tem prazer na dor e no sofrimento dos homens”, mas que se vale das “agonias e angústias da vida no intuito de que a humanidade enxergue sua fragilidade, sua finitude, bem como seu estado de rebelião para com Ele, entendendo assim a necessidade de arrepender-se de seus pecados reconhecendo-o como único e suficiente Salvador”.

Voltar
Tenha você também a sua rádio